Redação 96FM

Com o  tema “Xingu – O clamor que vem da Floresta”, o enredo da escola de samba “Imperatriz Leopoldinense” gerou revolta em representantes do agronegócio do estado do Mato Grosso. A música critica os proprietários de grandes áreas:“O belo monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios, tanta riqueza que a cobiça destruiu, Sou o filho esquecido do mundo, minha cor é vermelha de dor, o meu canto é bravo e forte, mas é hino de paz e amor”, diz a letra composta por Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna.

A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), emitiu nota criticando a letra do samba enredo. Para o presidente Manuel Machado Borges, é importante ressaltar que a pecuária e agricultura financia o país do carnaval. Ele classificou como inaceitável o sensacionalismo e ataques infundados que as Escola Imperatriz Leopoldinense faz.

A região do Xingu no Mato Grosso sofre constantemente pelo avanço do agronegócio sobre a floresta e também pelos confrontos entre etnias indígenas e latifundiários produtores de grãos e criadores de gado.

Confira o enredo da escola de Samba Imperatriz Leopoldinense – “Xingu – O clamor que vem da Floresta”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui