Redação 96FM

Foi aprovado nesta quarta-feira (11) a adoção de sistema de cotas nos processos seletivos de pós-graduação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). As seleções para doutorado, mestrado acadêmico e mestrado profissional terão reservadas o mínimo de 30% das vagas ofertadas para candidatos negros (petros e pardos) e uma vaga a mais destinada ao total ofertado nos cursos, para quilombolas, indígenas, pessoas com deficiência e trans (transgêneros e travestis).

O Conselho Acadêmico de Ensino (CAE) foi responsável pela aprovação da resolução que começará a vigorar nas seleções do segundo semestre de 2017. “A resolução, associada às outras iniciativas de nossa Política de Ações Afirmativas, busca avançar na correção de desigualdades históricas, tornando a UFBA plena em sua vocação inclusiva”, afirmou o reitor, João Carlos Salles.

A reserva de cotas é uma determinação Portaria Normativa nº 13, de 11 de maio de 2016 do Ministério da Educação. Além de contemplar negros, indígenas e pessoas com deficiências, a UFBA é a primeira universidade do Brasil inserir quilombolas e transexuais no sistema de cotas de pós-graduação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui