Redação 96FM

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção de Guanambi, emitiu nota nesta quarta-feira (18) sobre a prisão de Renato de Souza Marques, suspeito de cometer fraudes em sites de vendas na internet.

O motivo da nota é por conta da forma que foi veiculada a notícia sobre a prisão de Renato, alguns sites noticiaram que o suspeito é advogado, no entanto ele concluiu o curso de direito mas não se registrou na Ordem.

Foto: 22ª Coorpin

Renato foi preso na tarde desta terça-feira (17) pela policia civil de Guanambi. A prisão foi expedida pela Justiça Criminal. O bacharel em direito é acusado da prática de estelionato.

Em 2012, uma quadrilha que praticava falsas vendas na internet foi desarticulada em Palmas (TO). Uma conta de Rafael na agência do Banco Itaú em Guanambi teria sido usada para receber o dinheiro das vítimas da falsas contas.

Ele foi conduzido à sede da 22ª Coorpin, em Guanambi, onde ficou preso à disposição da justiça.

Veja a Integra da Nota emitida pela OAB

Diante do fato que vem sendo amplamente noticiado na imprensa baiana desde o final da tarde de ontem, cujas matérias informam, em suas manchetes, que a Polícia Civil de Guanambi teria efetuado a prisão de um “advogado acusado de estelionato”, a OAB de Guanambi, por sua presidente, Maria Luiza Guimarães, vem a público esclarecer que o Renato de Souza Marques, pessoa apontada como suposto estelionatário, não é advogado, não possuindo inscrição profissional na OAB da Bahia ou em qualquer seccional do país, não pertencendo, portanto, aos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil. Em tempo, registre-se que está sendo apurada a origem da referida informação inverídica para, sendo o caso, serem tomadas por esta instituição as medidas legais cabíveis.

 Maria Luiza Laureano Brito da Costa Guimarães

Presidente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui