Tiago Marques | Redação 96FM

Se dentro das quatro linhas o Flamengo de Guanambi está devendo futebol, fora delas o cenário pode não ser muito diferente. Além da baixa arrecadação de patrocinadores, a arrecadação de bilheteria não anda muito satisfatória. No empate por 1 a 1 contra o Fluminense de Feira pela quinta rodada do Campeonato Baiano neste domingo (19), o clube ficou com apenas um ponto na tabela e levou para seus cofres apenas R$2.435,00.

Os 733 torcedores que pagaram R$20 para assistir o jogo no Estádio Dois de Julho proporcionaram o faturamento bruto de R$14.660,00, no entanto, descontando-se as taxas e impostos o clube ficou de bolsos quase vazios e agora só resta arrecadar na partida contra o Bahia no dia 26 de Março e contra o Jacobina no dia 12 de Abril pela última rodada. Os ingressos para a partida contra o Bahia devem custar R$50, resta saber se até lá o time ainda terá pernas para lutar pelo menos pela permanência na Série A do campeonato.

O Flamengo de Guanambi terá agora três jogos fora de casa antes da partida contra o Bahia. No próximo confronto o novo técnico fará sua estreia, Fernando Dourado foi contratado para o lugar de Duzinho, demitido após a goleada para o Vitória na última quarta-feira (15).

Do total arrecadado, a maior parte ficou para as despesas. A arbitragem consumiu a maior parte, R$3.900,00, a segunda maior despesa é com o quadro da Federação Baiana de Futebol, a presença dos representantes da entidade custou R$2.435,00. A segurança também gera gastos na partida, a presença de 34 policiais militares no estádio custaram R$1.445,25 entre taxa e alimentação para manter a ordem. Confecção de ingressos, taxa da liga e impostos, consomem valores significativos quando somados. Os descontos são não são maiores porque o clube não paga aluguel do estádio, ambulância, equipe médica e serviços complementares que são bancados pela prefeitura.

Pouco público e muita despesa.

Baianão em Baixa

Nas três partidas o clube arrecadou R$22.370,91. As 901 entradas vendidas no jogo de estreia que terminou empatado com o Galícia, deu faturamento de R$12.774,76 ao Beija-Flor do Sertão, os ingressos foram vendidos a R$30. No segundo jogo, 1008 torcedores pagaram ingresso a R$20 e a receita líquida foi de 7.161,15 na partida que terminou com a vitória da Juazeirense.

Se tá ruim para o Beija-Flor do Sertão que vem arrecadando pouco, pior para o Granadeiro que só levou 127 torcedores. O Galícia teve que pagar R$5.388,60 no jogo contra a Jacuipense na última quinta-feira (16) para cobrir as despesas. Contra o Fluminense de Feira pela segunda rodada, o prejuízo do Galícia foi de R$2.627,20 e contra o Vitória da Conquista o clube teve despesa de R$6.700,85.

Outro time de Salvador também teve que desembolsar, o Atlântico não vendeu ingressos na partida contra a Jacuipense na primeira rodada e teve despesa de R$3.227,20.  Bahia de Feira teve prejuízo de R$4.164,95 contra o Atlântico na segunda rodada.

O Bahia que tem despesa alta para mandar seus jogos levou 6578 torcedores à Pituaçu na estreia contra o Jacobina, no entanto o clube teve prejuízo de R$80.250,36. Contra o xará de Feira o prejuízo foi ainda maior, R$93.345,41. O Vitória também não vem conseguindo vantagem na bilheteria, contra o Flamengo de Guanambi na última quarta o prejuízo foi de R$11.464,99.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui